Missão #11 – Recicletas

Já fazia muito tempo que o Imagina queria lançar uma missão sobre bicicletas. Em nossas andanças pelo Brasil, esbarramos em muitos projetos que usam a bike como ferramenta de transformação social. O primeiro que documentamos foi o Bike Anjo, nossa história de número oito. Eles começaram com um grupo pequeno de ciclistas em São Paulo que se uniu para ajudar a formar novos ciclistas. Os “anjos” – como o nome já anuncia – ajudam quem ainda não sabe pedalar a começar. Dão uma força também pra quem quer usar a bike no dia a dia, traçando trajetos mais seguros para ciclistas, ensinando as regras de convivência no trânsito e por aí vai.

Mais recentemente, conhecemos em Aracaju o pessoal do Pedal Madruga, que acorda antes do sol nascer para dar um rolê de bicicleta pela cidade. Nós, do Imagina, somos todos entusiastas da bike como meio de transporte alternativo e optamos por ela sempre que possível. Alguns com menos destreza do que outros, mas isso é uma conversa à parte. 😉

Se a gente queria falar do assunto, claro, a gente precisava chamar quem mais entende dele para a conversa. Juntamos nessa mesma empreitada o pessoal do Bike Anjo, a Nati Garcia e a Ju Russo, do Cidade para Pessoas, e a galera do Aromeiazero. Às vezes, a gente custa a acreditar que fazer isso é parte do nosso trabalho. Tudo o que a gente mais queria era arrumar um motivo para juntar esse pessoal pra trocar ideia com a gente todos os dias!

O propósito da conversa estava muito claro desde o início: a gente queria estimular que mais pessoas começassem a usar a bike. Isso deixa a saúde melhor, o humor melhor, a cidade melhor. A Nati trouxe um dado imbatível, que ela ouviu do prefeito de Copenhague, quando esteve na Dinamarca. Por lá, a prefeitura fez as contas: a cada quilômetro percorrido de carro, a cidade inteira perde o equivalente a R$ 0,70. Isso porque as pessoas demoram mais para chegar de um lugar a outro, ficam mais estressadas, mais doentes, mais deprimidas.

Na contrapartida, a cada quilômetro percorrido de bike, a cidade ganha R$ 0,30! As pessoas ficam mais saudáveis, mais tranquilas, interagem mais com a cidade e com os outros e se sentem mais felizes. No final das contas, ficou claro que a bicicleta não é só uma opção de transporte individual, é uma decisão que impacta a vida da cidade como um todo, que é verdadeiramente capaz de gerar riqueza.

O Murilo, do Aromeiazero, e o JP, do Bike Anjo, lembraram que existem muitas bikes abandonadas, encostada, sem uso por aí. Tem muita gente que tem bicicleta parada na varanda, no quarto dos fundos, no bicicletário do prédio. É como se existissem cemitérios invisíveis de bicicletas espalhados pela cidade. E essas bikes poderiam estar circulando e gerando riqueza para todos nós. Foi assim que chegamos à ideia da missão Recicletas!

A missão é devolver uma bicicleta abandonada às ruas e você pode fazer isso doando uma bicicleta reciclada – uma “recicleta” – para alguém que queira usá-la. Para ajudar, nós montamos um passo a passo com tudo o que é necessário, desde identificar onde “moram” as bikes paradas até como entregar a recicleta para quem você escolheu. A Ju Russo – talentosa que só ela – ilustrou o passo a passo para você:

missao recicletas

#Ficavaiterbike

Para ajudar na missão, nós estamos organizando mutirões de conserto de bicicleta pelo Brasil. A ideia é reunir quem sabe com quem precisa consertar bike em um espaço público de fácil acesso em qualquer cidade. Os voluntários do Bike Anjo e os capitães do Imagina na Copa vão dar uma força nisso. Se você quiser organizar um mutirão na sua cidade, preencha o formulário:

O mutirão de São Paulo já está marcado e vai acontecer no dia 27 de abril, no Festival Aros, bem pertinho da estação de trem/metrô de Pinheiros. Para isso vamos precisar de pessoas mão na massa e alguns materiais. Se quiser/puder ajudar, entre em contato no e-mail ola@imaginanacopa.com.br

A Missão Recicletas é a segunda convocação do Arrastão do Imagina na Copa! Saiba mais aqui.

GALERIA

Saiba mais sobre o nosso trabalho e o que estamos fazendo por aí.